Aumentar fonte:

Nos primeiros seis meses do ano, Tesouro Direto registrou 286 mil novos investidores ativos

Nesse período, o total de novos investidores cadastrados foi de 1,2 milhão

 

Base de investidores

Em junho de 2019, o acréscimo de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que atualmente estão com saldo em aplicações no programa, foi de 37.898 investidores. Nos primeiros seis meses do ano, o aumento de investidores ativos foi de 286.672. Com isso, o total de investidores ativos alcançou 1.072.990 pessoas, alta de 36,46% nos primeiros seis meses de 2019. Por sua vez, o acréscimo mensal no número de investidores cadastrados no Tesouro Direto foi de 157.858. Nos primeiros seis meses de 2019, o programa teve um ganho de 1.237.932 investidores cadastrados e atingiu a marca de 4.351.235 participantes, um aumento de 39,76%.

 

Operações de investimento

No mês de junho de 2019, foram realizadas 476.083 operações de investimento em títulos do Tesouro Direto, no valor total de R$ 2,68 bilhões. Durante esse mês, os resgates foram de R$ 1,68 bilhão, sendo esse valor composto somente por recompras, dado que não houve vencimentos. Dessa forma, houve venda líquida de R$ 1,00 bilhão. Os resultados de junho mostram um valor médio por operação de R$ 5.629,13. Além disso, aplicações até R$ 1 mil representaram 64,25% do total.

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os indexados à taxa Selic (Tesouro Selic) que totalizaram R$ 1,31 bilhão, representando 49,09% das vendas. Os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) somaram, em vendas, R$ 937,30 milhões e corresponderam a 34,97% do total, enquanto as vendas de prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais), totalizaram R$ 427,18 milhões, ou 15,94%.

Nas recompras, predominaram os títulos indexados a índices de preços (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais), que somaram R$ 781,00 milhões (46,40%). Os títulos indexados à taxa Selic totalizaram R$ 674,37 milhões (40,06%), os prefixados, R$ 227,78 milhões (13,53%), enquanto os títulos indexados ao IGP-M somaram R$ 76,91 mil (0,01%).

Quanto ao prazo, a maior parcela das vendas concentrou-se nos títulos com vencimento entre 5 e 10 anos, que alcançaram 80,06% do total. Em seguida, as aplicações em títulos com vencimento acima de 10 anos representaram 16,42%, enquanto os títulos com vencimento de 1 a 5 anos corresponderam a 3,52% do total.

 

Estoque

Em junho de 2019, o estoque do programa fechou em R$ 56,94 bilhões, um crescimento de 2,51% com relação ao mês anterior (R$ 55,54 bilhões).

Os títulos remunerados por índices de preços se mantêm como os mais representativos do estoque, somando R$ 27,36 bilhões, ou 48,05% do total. Na sequência, vêm os títulos indexados à taxa Selic, totalizando R$ 19,61 bilhões (34,45%), e os títulos prefixados, que somaram R$ 9,90 bilhões, com 17,39% do total. Por último, os títulos indexados ao IGP-M somaram R$ 63,54 milhões (0,11%).

Quanto ao perfil de vencimentos dos títulos em estoque, a parcela com vencimento em até 1 ano fechou o mês em R$ 613,76 milhões, ou 1,08% do total. A parcela do estoque vincendo de 1 a 5 anos foi de R$ 19,93 bilhões (34,99%) e o percentual acima de 5 anos somou R$ 36,40 bilhões (63,93%).

O balanço completo do Tesouro Direto está disponível em https://www.tesouro.fazenda.gov.br/pt/balanco-e-estatisticas