Como funciona o mercado de títulos públicos

 

 

Os preços e taxas dos títulos públicos sofrem variações ao longo do tempo?

Sim. O Tesouro Direto é um tipo de investimento de renda fixa, mas isso não quer dizer que os preços e taxas dos títulos públicos não apresentem variações ao longo do tempo. Renda fixa é um tipo de investimento em que o investidor já conhece as condições sob as quais o seu investimento será remunerado, mas não necessariamente a sua rentabilidade final. Por exemplo, ele sabe que o seu rendimento é dado pela taxa SELIC, mas não sabe se a taxa SELIC será de 10% a.a. ou 11% a.a. durante todo o período de investimento.   

Entre a data de compra e a de vencimento, o preço do título flutua em função das condições do mercado e das expectativas quanto ao comportamento das taxas de juros. Uma redução nas taxas de juros de mercado em relação à taxa de compra do título provoca aumento no preço do título. Já um aumento nas taxas de juros proporciona o efeito contrário.

Assim, os juros praticados no mercado têm influência direta sobre o preço dos títulos. Por exemplo, suponha que você compre uma unidade do título Tesouro Prefixado 2016 (LTN) em 26/06/2012, a uma taxa de juros de 9,15% a.a. O preço que garante a rentabilidade de 9,15% ao ano durante o período de 26/06/12 a 01/01/16 é de R$ 735,29. Isso porque, a incidência da taxa de juros de 9,15% a.a. sobre R$ 735,29, durante 905 dias, resultará no montante de R$ 1.000,00 no vencimento da aplicação, valor final predeterminado para cada unidade desse tipo de título. Dessa forma, se os juros aumentarem, o preço inicial de partida do título terá que ser menor, de forma que se chegue no mesmo montante final de R$ 1.000,00 ao final da aplicação.

Como pode ser observado abaixo, o preço do título possui relação inversa com a taxa de juros.

 

Como essas variações na taxa de juros afetam os títulos que comprei?

O valor do título no seu extrato considera essas variações da taxa de juros. O título é atualizado de acordo com o preço que ele é negociado no mercado secundário naquele momento, procedimento conhecido como marcação a mercado.

Desta forma, havendo queda nos preços negociados no mercado, o saldo do investidor cairá. Por outro lado, se houver valorização do título, o saldo do investidor irá se elevar. Essa é a mesma mecânica dos fundos de investimento, que fazem a marcação a mercado de seus ativos, com base em recomendação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador do mercado de valores mobiliários.

Porém, uma coisa nunca muda: se você mantiver os títulos até a sua data de vencimento, receberá o valor correspondente à rentabilidade pactuada no momento da compra, independente das variações do preço do título ao longo da aplicação.

Já no caso da venda antecipada, o Tesouro Nacional recompra o título com base em seu valor de mercado. Com isso, o retorno da aplicação poderá ser diferente do acordado no momento da compra, dependendo do preço do título no momento em que você queira vendê-lo.
 

Exemplo:

Um investidor compra o título Tesouro Prefixado (LTN) com vencimento em 1° de janeiro de 2014 no dia 1º de agosto de 2011, a um preço de R$ 793,97 e a uma taxa de 10%.

Suponha que ele decida vender esse título antecipadamente, no dia 03 de maio de 2013. Nesta data, o preço do título é de R$ 955,17. Sob essas condições, a rentabilidade obtida pelo investidor com a venda antecipada seria equivalente a uma taxa de 11,17% a.a., superior, portanto, àquela contratada no momento da compra.

Logo, na venda antes do vencimento, o retorno da aplicação poderá ser diferente do acordado no momento da compra, dependendo do preço do título na data em que o investidor decidir vendê-lo. No exemplo apresentado, o investidor obteve uma taxa bruta de rentabilidade (11,17% a.a.) maior que a contratada no momento da compra (10% a.a.), mas ela também poderá ser menor que a contratada, a depender das condições do mercado no momento da venda.

No gráfico abaixo é possível visualizar a diferença de rentabilidade obtida em caso de venda antecipada ou de venda na data vencimento:

  

A linha azul apresenta o comportamento do preço do papel supondo que a taxa contratada no momento da compra, 10% a.a., se mantenha inalterada até o vencimento do papel. Em termos técnicos, ela representa a evolução do preço do título na curva, ou seja, a apropriação natural de juros até a data de vencimento. A linha verde, por sua vez, mostra o preço de mercado do título. Nos momentos em que a linha verde está acima da linha azul, o investidor obteria rentabilidade maior à contratada caso vendesse antecipadamente. Nas datas em que a linha azul está acima da verde, a rentabilidade do investidor seria menor que a contratada no caso de venda antecipada.

Os prazos de vencimento influenciam os preços dos títulos?

Sim. Quanto maior o prazo para o vencimento, mais sensível é o preço do título às alterações nas taxas de juros.

Como o preço do título é o valor presente do fluxo descontado a uma taxa, para títulos do mesmo tipo, quanto maior o prazo até o vencimento, mais o preço (valor presente do fluxo) varia quando há alteração nas taxas de juros. Assim, dada uma variação na taxa de juros, o título com maior prazo até o vencimento tem alterações no preço de forma mais intensa.

Veja no gráfico abaixo que, quando a taxa de juros da economia cai (linha azul), os preços dos títulos aumentam. No entanto, o preço do Tesouro Prefixado 2014 (linha amarela) aumenta menos que o preço do Tesouro Prefixado 2018 (linha verde).

Assim, papéis curtos têm menor volatilidade de preço, mas têm maior risco de reinvestimento, que é o risco de você não conseguir investir novamente nesse título sob as mesmas taxas existentes quando da aplicação anterior. Por exemplo, suponha que existam dois títulos, sendo o primeiro a 1 ano do seu vencimento e o segundo a 2 anos, ambos com a mesma rentabilidade anual. Se o investidor preferisse comprar o título com 1 ano e no seu vencimento comprar outro de 1 ano, em vez de comprar o título de 2 anos, ele pode não encontrar no segundo ano esse título de 1 ano com as mesmas taxas existentes quando da primeira compra. Este é um trade-off que o investidor deve assumir: fazer a sua melhor escolha entre volatilidade versus risco de reinvestimento.

Resumindo:

Não é possível afirmar se haverá perda ou ganho financeiro no caso de venda antecipada, pois isso dependerá das condições de mercado na referida data de venda.

Vale lembrar, entretanto, que se o investidor permanecer com os títulos até a sua data de vencimento, receberá o valor correspondente à rentabilidade pactuada no momento da compra, independente das variações de preço do título ao longo da aplicação.

Você pode acompanhar o preço do seu título praticado no mercado consultando:

A lista de títulos disponíveis para venda e seus preços

A Tabela de Rentabilidade Acumulada dos Títulos Públicos*

Seu extrato, na área exclusiva do investidor

Você também pode conhecer:

Histórico diário dos preços e taxas

Metodologia de cálculo dos títulos públicos

Precificação dos títulos públicos



   

INDICADORES DE MERCADO
Selic, IPCA, Dólar, Ibovespa, etc...